Os dez mandamentos de um bom briefing

Os dez mandamentos de um bom briefing

Os dez mandamentos de um bom briefing

Resolvi criar 10 mandamentos de um bom briefing. Enfim, essas são apenas as minhas percepções (de um pouquinho de experiência no planejamento, na criação e no atendimento).

Rapaziada do atendimento, tome nota!

1 – O briefing não é um rascunho do anúncio

“Fazer um Folder”, “Criar um site” ou “Criar um cartaz” não é briefing! O cliente é quem tem o problema (o objetivo a atingir) e a agência é a especialista pra sugerir como resolver com comunicação. Você não chega no médico exigindo uma cirurgia, ou um remédio faixa preta, certo? A ideia é a mesma, cada macaco no seu galho.

2 – O briefing é o problema

Mais do que um monte de informação sobre o cliente, o mercado e o público-alvo, o briefing deve ser capaz de esclarecer qual é o problema a ser resolvido: a empresa está vendendo pouco? O público-alvo prefere o produto da concorrência? A marca do cliente não é lembrada pelo público? Enfim, o que está acontecendo? Se não houver clareza no problema, não teremos campanha!

3 – O briefing deve esclarecer tudo

Além da clareza do problema o briefing deve esclarecer o cenário que a agência irá comunicar. A empresa, o produto, o mercado, o consumidor e os concorrentes são elementos fundamentais. Pesquisar mais sobre esses elementos na etapa de planejamento também agrega valor pra criação.

4 – O briefing é breve

Fala por si.

5 – Briefing breve não significa briefing preguiçoso ou sem informação

Não existe briefing de 4 linhas por e-mail. Enfim, não utilize o formato do documento para praticar a sua preguiça e desleixo. O objetivo é atingir objetividade com precisão. Não temos tempo a perder. Controle-se. Briefing preguiçoso é um prato cheio para o famoso segue as alterações do cliente.

6 – Briefing prolixo é igual comunicação confusa

Briefing não é lugar pra encher de linguiça. Como o próprio nome diz, o briefing deve ser breve! Lembre-se, ele deve ser uma síntese do problema e do cenário. Além de não ser nada agradável e tomar um tempão, briefing enrolado é um caminho sem volta para uma campanha confusa.

7 – Briefing contraditório é igual a comunicação desfocada

Quem nunca leu aquelas pérolas do tipo “o cliente deseja uma campanha tradicional e moderna”, “contemporâneo e clássico” e “jovem e infantil”. Enfim, sai do armário, meu amigo! É tradicional ou é moderno? Foco! Objetividade!

8 – O briefing deve ser inspirador

O briefing é o primeiro contato da agência com o planejamento e a criação. É necessário se preparar para apresentar o cliente para os colegas. Faça uma bela apresentação! Coloque um sorriso no rosto e preocupe-se em vender o problema do cliente! Encante, inspire e motive! Se o briefing for bem recebido já é um bom começo.

9 – O briefing não deve ser demasiadamente técnico e formal

Rechear o documento com aquele “marketês” fajuto não vai ajudar. Seja informal e agradável… isso já é um bom começo.

10 – Briefing “pra ontem” não existe

Segura a ansiedade, acalme o cliente e respire fundo. Você sabe, pra ficar bom as coisas precisam de tempo. Veja você, demorou 9 meses pra nascer e quase não tem defeitos.

Ahh, lembrei de mais um!

11 – Evite o briefing do tipo “é só um inho”

Você já viu a história do “É só um cartazinho”, “é um folderzinho simples”? Procure saber o que há por trás desse “inho”. Normalmente tem um problemão que não será resolvido tão simples assim. Enfim, antes de repassar, certifique-se.

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos