O briefing é o problema

O briefing é o problema

O briefing é o problema

Odiado, desejado, questionado ou ignorado o briefing é uma espécie de ator coadjuvante em uma agência de comunicação ou marketing.

Um bom ator coadjuvante (o briefing) deve garantir ao menos um filme (campanha) razoável no final, contudo, se somada a ele tivermos um bom ator principal (a criação) e um qualificado diretor do filme (o planejamento), o filme (a campanha) tem tudo pra garantir um Oscar (cliente feliz vendendo adoidado!).

Mas o que é esse tal de Briefing?

Bom, é uma palavra importada do inglês: “Brief”: “Adjective: of short duration, Noun: a concise statement or summary (Oxford Dictionary)”. Enfim, esse “Brief” tem a ver com uma espécie de sumário, síntese ou resumo do que se deve realizar.

No marketing e na publicidade o “Brief” virou “Briefing” e denota algo mais. Algumas definições de colegas tupiniquins:

“Um conjunto de informações fornecidos pelo anunciante para orientar a agência na elaboração de um projeto de comunicação” (Roberto Corrêa).
“O briefing é um documento para tomar contato com a realidade do cliente, conhecer o seu produto, o seu mercado e aprender um pouco do seu negócio” (Flávio Ferrari).
“Documento contendo a descrição da situação da marca, seus problemas, oportunidades, objetivos e recursos para atingi-los. É a base do processo de planejamento” (Rafael Sampaio).

O briefing é uma estrada

Quanto melhor sinalizada, mais rápida e segura será a chegada ao destino final. Quanto menos sinalizada e mais esburacada, menores serão as chances de chegar. Falando em estrada, sinalização e briefing, lembra desse vídeo?

Veja bem, muita gente por aí acha que briefing é um documento de informação (dados do cliente, do consumidor, do produto, da concorrência). Concordo.

Mas antes disso acredito que o briefing é um documento de questionamento, de problematização e de esclarecimento do que se pretende resolver com uma estratégia de comunicação. Entende? O que o cliente quer com a campanha? Quais as suas expectativas? O que ele precisa? Qual é o seu real problema? Como podemos ajudá-lo na agência?

Um conceito simples que muita gente no mercado não entende. Para mim isso é uma das coisas que diferenciam uma boa agência para outra ruim.

Para uma agência boa: o briefing é sempre o problema.

Para uma agência ruim: o problema é sempre o briefing.

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos