Empreendedorismo no agronegócio: inovação e tecnologia garantem ganho na qualidade dos produtos.

Empreendedorismo no agronegócio: inovação e tecnologia garantem ganho na qualidade dos produtos.

Empreendedorismo no agronegócio: inovação e tecnologia garantem ganho na qualidade dos produtos.

Inovar! Essa é a palavra do momento. E quando falamos em inovação podemos nos referir a diferentes mercados e áreas. E com o Agronegócio não é diferente. A tecnologia trouxe grandes novidades para a agricultura e tem auxiliado produtores a entender melhor as demandas de mercado, o que consequentemente, traz melhoras e um aumento na qualidade da produção de alimentos e grãos.

Hoje o Agronegócio é um dos setores mais produtivos da economia brasileira, empregando milhares de pessoas. Mas para que a produção continue em alta e o crescimento seja constante, é necessário ter condições adequadas de produção, ambientes apropriados de trabalho e ferramentas que cumpram esta tarefa de produzir de forma sustentável e cuidando do ambiente.

A partir daí é que surge o conceito de Agricultura Digital, que reúne tudo o que há de eficiente em tecnologia não só para produzir mais, mas também com maior precisão e melhor uso dos recursos naturais. Aplicativos, novos sistemas e sensores nas lavouras, são exemplos de ferramentas que geram, por meio de um conjunto de dados, informações essenciais ao produtor.

Mas como empreender de forma correta nesta área tão promissora? Este será o assunto abordado durante o Seen Experience por Marco Lorenzzo Cunali Ripoli.

Conheça um pouco mais sobre a carreira do Marco e algumas dicas sobre networking no agronegócio:

Ripoli tem 23 anos de experiência no ramo do Agronegócio, sendo 14 destes em empresas multinacionais de máquinas e equipamentos agrícolas com atuação em cadeias de valor que desenvolvem e gerenciam vendas, planejam produtos, atuam com inteligência de mercado e trabalham com marketing estratégico.

Como o próprio palestrante define, os agricultores são os empreendedores do campo, e as empresas devem estar capacitadas para oferecer recursos inovadores e de qualidade a eles.

Para saber um pouco mais sobre agricultura digital, inovação e empreendedorismo, e sobre o que será exposto por Marco Ripoli durante sua palestra na Seen Experiencie, conversamos com ele e compartilhamos essa entrevista com você:

 

Equipe Seen: Na sua visão, qual é o maior desafio para empreender e inovar no agronegócio?

M: A gestão adequada de pessoas, a gestão financeira bem feita, a burocracia que muitas vezes atrapalha e precifica muito, a capacidade de inovar e, por fim, planejar marketing & vendas conforme metas da empresa.

 

Equipe Seen: Considerando a sua vivência diária, as empresas do ramo agrícola estão adaptadas à esta nova realidade? Ou ainda estão passando por um processo de atualização?

M: A resposta é sim e não…  Cada vez mais as tradicionais empresas estão buscando compreender e participar deste novo mundo. Muita coisa é nova, existe um novo tipo de cliente, existe um novo tipo de mercado, existem novas necessidades de experiências. É preciso se diferenciar.

 

Equipe Seen: Qual é o melhor caminho para iniciar um plano estratégico de processos operacionais que contemplem o setor de vendas e marketing dentro de uma empresa?

M: Conhecer profundamente o seu cliente. O que ele valoriza?  Como ele gosta de ser abordado?  Como ele é direcionado: por produtividade, por custo de produção ou por disponibilidade de máquinas?  Isso é importante, pois cada segmento (grãos, cana, pecuária, etc…) tem um foco. Depois de conhecer o cliente é assegurar que a solução seja construída com base nas suas necessidades e não nas necessidades da empresa. O plano estratégico é baseado nisso e deve estar muito alinhado no planejamento de crescimento da empresa, pois será fundamental para o sucesso do mesmo.

Equipe Seen: Quais são os maiores aprendizados da sua experiência profissional?

M: As “pessoas” são as responsáveis pelo sucesso ou fracasso de qualquer empresa, não importa o tamanho da empresa.  Ninguém faz nada sozinho. Compartilhar conhecimentos é a melhor forma de crescer em conjunto.

 

Equipe Seen: Na sua opinião, o marketing digital funciona para o agronegócio? Como?

M: Já é hora de mudarmos esta terminologia, pois marketing digital já se tornou muito grande para uma definição tão curta. Contudo, respondendo sua pergunta, sim! Funciona muito bem. Podemos fazer isso compartilhando em grandes escalas conhecimento, eventos, notícias, opiniões, argumentos, novidades etc. Permitindo que muitos tenham acesso a informação e que com ele possam beneficiar-se. Deve-se iniciar conhecendo bem o público alvo, em seguida, para começar você deve contratar empresas especializadas ou estudar formas de fazer este marketing (mais demorado).

 

Equipe Seen: Para quem está pensando em investir na área do agronegócio, e busca saber mais sobre a importância do setor e como estar inserido no mercado, qual é o seu recado ou dica?

M: Investir no Agro não é diferente de investir em outros setores. É muito importante fazer um bom planejamento financeiro, controlar suas entradas e retiradas mensais. Para se inserir no mercado é importante estar conectado com o que ocorre no mercado agro. Defina quais são seus objetivos, qual seu perfil. É importante também se consultar com profissionais deste setor.

 

Equipe Seen: Em sua opinião, quais são as principais mudanças que a Tecnologia e o Marketing Digital trouxeram na relação das Empresas com seus Consumidores?

M: Acesso a novos produtos, novas formas de comercialização, novas experiências aos clientes.  

 

Equipe Seen: O que o público do Seen Experience pode esperar da sua palestra durante o evento?

M: Falarei da importância do networking no agro, marketing pessoal e como é importante para potencializar o sucesso do empreendedor do campo focando na transformação digital.

 

Equipe Seen: Como você avalia as perspectivas de mercado nos próximos cinco anos no agronegócio? E como a tecnologia e o marketing digital podem impactar nestas perspectivas?

M: Ótimas! Em todos os setores (grãos, sucroalcooleiro, proteína animal, etc.) a economia agrícola continuará crescendo percentualmente mais que o PIB total do país. Cada vez mais os modelos de integração estarão ganhando espaço nas propriedades rurais. De acordo com o USDA, o Agro brasileiro atingirá mais de US$1 trilhão de em 10 anos. O agronegócio exportou US$ 96 bilhões em 2017 e se este desempenho continuar nos próximos 10 anos, acrescido deste estimado pelo USDA, trará US$ 1,1 trilhão em 10 anos, ou R$ 3,3 trilhões, isto sem contar o provável crescimento em papel e celulose e outros produtos florestais, como café, frutas, flores, açúcar, etanol, arroz e outras commodities. Se estas agregarem mais US$ 100 bilhões acumulados, levam o número dos próximos dez anos a US$ 1,2 trilhão.

Gostou dos dados? Ficou interessado em saber mais como empreender e inovar neste ramo tão promissor? Então participe do Seen Experience! Você vai viver uma experiência inovadora de marketing e entender de que forma pode melhorar suas visões sobre o agronegócio e outras áreas.

 

(Fonte Imagem de Capa: Endeavor)

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos